domingo, 19 de abril de 2009

Campeonato da Maia... a escolha.

Acabei por escolher a prova de XC da Maia. Só tive a Scalpel pronta sábado de tarde, tarde de mais para ir às 12horas de resistência de Barcelos, que começava às 10h da manhã.

O Domingo acordou solarengo e após a reunião com o grupo local da loja Sodhisa lá chegamos a Santa Maria de Avioso. A atmosfera transpirava competição com tantos atletas em todas as categorias (39 na de Vet.A, a minha).

Eu e o Ribeiro após o reconhecimento

Chegada a hora lá alinhamos no arco insuflável e em frente ficava a fantástica recta com cerca de 200m. Soa o tiro de partida e foi hora de fazer juz ao nome "Nitro" e arrancar de talega aviada e agarrar e manter a 1ª posição até à entrada em monte, no preciso momento em que o grupo de 3 (eu, o Nuno Van Damme e o Carlos Silva do Maia AC) começamos a dobrar os ultimos atletas da categoria de Seniores, que partiu antes 1 minuto. A confusão estava instalada e por entre lama e atletas dobrados fomos mantendo estas posições até à 4ª volta.
clica para ampliar
Eu na frente, na recta de partida, com o Nitro a fundo

O momento fatídico...
Num degrau pouco técnico, mas pronunciado, entro com a roda de forma violenta no fundo do degrau, o pneu torce e o ar sai quase todo. A queda foi inevitável, bem como a passagem de vários atletas de várias categorias. Foi o momento de decidir se desisitia ou se metia ar e continuava. Não fui lá para desistir, tirei o CO2, insuflei o pneu da frente e fiz-me ao trilho. O estrago estava feito, as posições perdidas e o desânimo foi grande. Mas nem por isso, nem com a dor no joelho (derivado à queda) me fizeram desistir, era hora de ir agarrar alguns do lugares perdidos.

Os 2' minutos perdidos a meter ar eram suficientes para ter o lugar mais baixo do pódio, mas este fugiu como areia pelos dedos abertos, ou melhor... como o ar por entre um aro e um pneu torcido.
Após a prova, a bike ficou a pesar mais 1 Kg... de lama.

A 3ª prova do Campeonato será a 10 de Maio e espero poder ir lá desforrar-me do dissabor de hoje...

Fotos:
http://picasaweb.google.com/bikezoneet/InterFreguesiasMaia2Prova2009#
Dá para ver as várias largadas por categorias, apareço na 5ª foto.
Rescaldo:
O pessoal não está muito satisfeito com as classificações, mas pronto.

terça-feira, 14 de abril de 2009

12 Horas de Resistência VS Campeonato XC da Maia

No próximo fim-de-semana vai realizar-se a prova de resistência de 12h organizada pelos Amigos da Montanha e Domingo há mais uma prova de XC do campeonato da Maia...
A qual vou? Isso é uma boa pergunta...

Por um lado tenho o desafio de horas infindáveis à chuva a pedalar, por outro tenho cerca de 45' de explosão máxima e um treino técnico fabuloso...

Por um lado tenho um bom treino de preparação para o Geo-Raid que é para a semana seguinte, por outro tenho uma prova que me vai deixar mais solto e mais adaptado à técnica... o meu ponto fraco...


BTT 12H Resistência Vilar de Figos, Barcelos, 18 de Abril
http://www.amigosdamontanha.com/

O LOCAL:O evento será na freguesia de Vilar de Figos, a cerca de 5 km de Barcelos. O ponto de encontro é no campo de futebol de Vilar de Figos, o local-base para o paddock das equipas, oficina, banhos, refeições e centro de operações.

O PERCURSO:O percurso tem 6.5 km, fechado, de intensidade física sóbria, sem subidas prolongadas ou de grande exaustão. Existem partes com nível técnico médio e bastantes descidas prolongadas.



XC Campeonato da Maia
Prova de cerca de 15km, disputada por categorias, a realizar-se na freguesia de Santa Maria do Avioso, com um indice de participação interessante ao nível de um Regional.
Esta prova será de dificuldade média, pois o local não é de muito monte, mas com alguns singletracks, será mais rodada e rápida.

Vamos ver...

terça-feira, 7 de abril de 2009

Treino para o Geo-Raid de São Pedro do Sul

clicar para aumentar

Na passada sexta-feira meti-me no carro e fui ter com o Nuno Machado para fazermos um treino em conjunto para a prova que se avizinha - Geo-Raid de São Pedro do Sul. Faltam escassas semanas para os dois dias intensos de prova e a conjugação de treino é fundamental para que os andamentos sejam similares. E não andam muito longe disso, permita-me o Nuno a modéstia...

O dia anterior foi de testes de lactato e os resultados observados davam-me confiança pois contava com um aumento de 11%, em dois meses, na relação peso/potência.

Para começar bem o treino poderei dizer que ao fim de poucos segundos de termos cruzado o portão de casa dele já estavamos em estradão... fenomenal... o monte nas traseiras de casa, o sonho de qualquer cromo que pedale. A 1ª hora seria de aquecimento e lá nos metemos por locais já conhecidos do BTT Magazine . Rodamos aos zig-zags por estradões cheios de areia, cruzamos a linha de Comboio do Oeste, e iamos em direcção a Montejunto, mas até lá ainda faltava...

Subimos a um parque eólico, cheio de ventoinhas, e diga-se de passagem que estavam ligadas no máximo... elas estavam a produzir muito vento mas mesmo assim lá continuamos. Uma chamada de trabalho "desculpe, estou numa reunião de obra, ligue-me mais tarde"... Passagem fabulosa por uma corda cheia de moinhos antigos, uma vinha quase infindável, até que chegamos às primeiras verdadeiras subidas do dia, qualquer coisa suficiente para nos pôr no limiar num abrir e fechar de olhos.

-"Vês aquele estradão a cortar a montanha? Já lá vamos"- tratava-se de um estradão fantástico a rodear Montejunto. A Paisagem estava prestes a mudar radicalmente. Passados alguns minutos estavamos nesse estradão, que cortava a lateral do monte sem dó, um caminho quase sempre a subir, com uma encosta a pique do lado direito. Metemos a talega e lá fomos afiar o 44 por lá acima... Subida progressiva super-divertida.
Mais à frente o Nuno começou-me a meter medo com uma surpresa que tinha guardado: a derradeira subida para Montejunto.
Era hora de provar que não precisava do 22, que o 29 era o suficiente, e assim foi. Ao Km 52 foi altura de meter Nitro nos presuntos e trepar como se não houvesse amanhã. A subida valeu bem o esforço, a paisagem era vasta e ampla, ao fundo via-se o recorte horizontal do mar, carregado com alguma nublina. Mais porrada só ao Km 80...

Chegados ao Km 80, como já disse... porrada. Mais uma "pequena" subida de 2km de 250m de acumulado. Depois disso foi altura para parar e apreciar mais uma vez a vastidão de Torres Vedras e observar com nostalgia os telhados do condomínio do Nuno, ao longe. Era lá a próxima paragem.

Ficou a clara sensação de que estava a pedalar novamente numa prova épica, com um companheiro. À parte dos normais piropos entre ciclistas e companheiros, as bocas "apaneleiradas" ou machistas do costume está patente a confiança, a relação quase visceral que se desenvolve quando se sofre em conjunto para um único objectivo. Só quem já fez uma prova épica por etapas, com companheiro, percebe do que falo... fica a expectativa para os dias 25 e 26 de Abril. Ate lá tenho o campeonato da Maia de XC e muito mais treino, logo a seguir é altura para Portalegre.