sexta-feira, 30 de julho de 2010

GeoRaid #2 Serra da Estrela | Relato dia 2






Acordamos para mais um dia, já restabelecidos do empeno do dia anterior.
Fazia já muito calor e não havia vento. Já se sentia que o calor ia ser pior do que no dia anterior.

Devidamente alinhados na nossa box, esperamos pela nossa partida.


Essa fez-se em muito bom ritmo dado que os primeiros quilómetros foram sempre a descer, primeiro por estrada, depois por umas descidas cheias de pedra e mais tarde por caminhos cheios de regos e areia, aqueles que eu detesto mesmo.

O Rui lá se distanciava um pouco em cada descida que faziamos, e lá esperava por mim no seu fim.
Entretanto começaram as primeiras subidas, com início em alcatrão e eu a tentar convencer o Rui que teríamos de atacar com calma... "deixa-os ir" - dizia eu.
E assim foi, as outras equipas lá iam passando por nós, e nós lá iamos apanhando as equipas com maior handicap.

E assim foi até 1/4 da primeira grande subida, altura na qual já me sentia com a digestão feita, com o pequeno-almoço já devidamente digerido. Iamos a subir com uma outra equipa, comigo na retaguarda a guardar rodas... "saltou-te a mola ó palhaço?" perguntou o Rui - "anda, vamos" - disse-lhe eu. E começamos a subir bem aviados, e a recuperar as equipas que nos haviam já ultrapassado.
Uma a uma, lá iam ficando para trás, até chegarmos ao ponto de água. Voltamos a montar rapidamente e engatamos num grupo grande, com malta da Longusbike, entre outros.
Rapidamente, num estradão sempre a subir, isolamo-nos desse grupo numeroso, com mais uma equipa e lá fomos rolando de talega aviada, monte acima. O estradão era favorável para quem rola bem e tem pernas para aviar. O nosso caso!!!

Mais tarde vieram algumas descidas, zonas de bosque muito bonitas, mais umas descidas, mais umas subidas, até que engatamos na ultima grande subida do dia.

Mais uma vez, disse ao Rui: "vamos atacar com calma, mas sempre certinhos", "bóra lá" disse ele.
E assim foi, fomos subindo, por mato e por alcatrão até ao Poço do Inferno, sempre a ultrapassar equipas, entre as quais, o Mário Roma e a Adriana Nacimento.
Lá nos fomos mantendo estáveis, com o calor a apertar imenso e a água no fim.

A meio dessa longa subida comecei a ter dores na parte inferior do pé direito, não sei bem porquê, até hoje. Obrigou-me várias vezes a desmontar para aliviar a dor, mas mais uma vez não estavamos ali para desistir nem perder os lugares conquistados durante toda a manhã.
E assim fomos subindo, com apenas uma única equipa a passar por nós, uns simpáticos todos de cor-de-laranja.
Mais tarde veio a zona em que sou realmente forte... rolar para o final.
Deve ser o cheiro da meta, ou uma outra coisa qualquer similar, que me dá aquela pika para me curar de todas as dores e todos os cansaços.
Comecei a bombar forte, com o Rui sempre a vir comigo, mesmo sem cerveja.
E rapidamente nos afastamos dos perseguidores, e a muito bom ritmo.
Chegamos ao Centro dos Limpa-Neves e, novamente, sempre a descer por alcatrão até à meta.

Mais uma vez, a enorme felicidade de cortar o arco, ainda por cima com um tempo muito mais interessante do que no dia anterior, e a nossa melhor prestação em termos de etapas do GeoRaid.

Fizemos 22º lugar nesse dia, a contrastar com o 63º do dia anterior.
Em termos de Troféu, estamos em 19º lugar, mesmo a seguir às grandes máquinas que preenchem o TOP 20 no troféu GeoRaid, esta grande aventura com GPS.

Mais uma vez, Obrigado Rui Paiva Lima, por seres um excelente companheiro e um excelente navegador.

quinta-feira, 22 de julho de 2010

Cannondale Factory Racing acaba Relação com Roel Paulissen



Bethel, Conn. - Julho, 16, 2010 - A Connondale anunciou hoje que a Cannondale Factory Racing (CFR) terminou o patrocínio e o relacionamento com Roel Paulissen depois deste ter violado a política Anti-Doping da equipa.

"Estamos muito desapontados pelo facto do Pulissen ter violado a política anti-doping da equipa. Acreditamos num determinado nível de competição e apoiamos todos os esforços e agências para limpar o ciclismo, enquanto desporto", disse Bob Burbank, Cannondale General Manager.

A CFR manter-se-á focada nos valores e objectivos em que foi fundada: dominar o Campeonato do Mundo com vitórias e pódios; medalhas Olímpicas em Londres 2012; e, apoiar um desporto limpo que transpire o estilo de vida pleno de diversão do ciclismo de montanha.

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Este é o ESPÍRITO... GEORAID


Não interessa mais nada, apenas o apoio do companheiro, porque assim sabemos que chegamos ao fim, nem que seja arrastado pelas orelhas.

GeoRaid #2 Serra da Estrela | Relato


O GeoRaid tem a particularidade de cada atleta ter um companheiro para a prova.

Eu tenho o Rui Paiva Lima que, de resto, é um excelente companheiro, e creio que formamos uma dupla incomparável, por muitos e variados motivos. Acima de tudo pelas nossas diferenças como pessoas e pelo gosto, comum, de pedalar.

Neste tipo de provas cada um tem um papel bem definido quanto a determinadas tarefas. Outras há que as fazemos em conjunto, sem trocar grandes palavras ou divergências. Simplesmente acontece o que tem de acontecer. Isso não tem preço...

O Rui trata da navegação por GPS, eu trato da forma como "atacamos" a prova, atento aos pontos de água, às altimetrias, aos momentos de descanso e de ataque.

Na realidade eu começo sempre empenado as provas e depois vou aquecendo, o que geralmente só acontece aos fim de, pelo menos, 60km. O Rui começa com o Power todo e a matar-me em cada subida. Mais adiante, eu renasço e trato de puxar o carro-dos-bois.

Ainda bem que assim é, assim ninguém empena ao mesmo tempo.

Devo-lhe agradecer toda a paciencia que tem comigo, pois sou um "nabo" a andar de bike, e em zonas técnicas lá vai o Rui montanha abaixo e eu largo sempre o raio da âncora. Também é ele que está sempre atento à mecânica.

Nesse mesmo espírito de Companheirismo pedi-lhe para ser ele a fazer o relato de pelo menos um dia de prova.

Aqui vai a crónica pelo meu companheiro... dá-lhe, Rui...

"Mais um GeoRaid, desta feita na Serra da Estrela. Eu e o meu parceiro, o Nitro, lá fomos sexta-feira de tarde, na nossa carrinha (Transit Bi-Xénon, chamada Ivone) e demos boleia a dois colegas de "profissão" do Clube BTT de Matosinhos, o Carlos Araújo e o Telmo Lopes.
Perto das 19h chegamos ao Hotel Serra da Estrela, fizemos o check-in, pousamos os sacos nos quartos e depois de um banho refrescante fomos levantar dorsais.
Lá por volta das 20h30 fomos jantar e toca a ir para o quarto para descansar pois esperava-nos um primeiro dia extremamente difícil com previsão de muito calor e um acumulado de 3.923m em 114km.
Sábado acordamos às 6h30 da manhã para nos prepararmos sem stress e às 7h fomos tomar o pequeno almoço.
A nossa partida estava prevista para as 8h24' mas tinhamos que nos apresentar 8 minutos antes, pois assim reza o Regulamento da Prova. Com o nervoso do costume, antes da partida, lá nos desejamos boa sorte e fomos para a aventura épica...
Arrancamos muito forte, sempre a subir, com o Nitro a dizer-me para ir mais devagar, fomos descendo, fomos subindo, e o calor também, com o Polar a marcar 43 graus celcius.
Aos 70 quilómetros o meu combustível começou a acabar, as luzes do tabliê todas a acender e a vermelho, comecei a andar a pé e o meu parceiro sempre "impec" e a incentivar-me a ter força até que lá conseguimos chegar a Manteigas, e qual não é o meu espanto, encaramos com um montão de riders no super-mercado a comprar comida e bebida, todos como eu, com um grande empeno.
Descansamos um pouco, bebi uma cervejola, deitei-me para relaxar e lá arrancamos. Até parecia novo, só faltava a ultima subida de Manteigas para o Centro dos Limpa-Neves, cerca de 16km. Quando entramos no asfalto tive outra fuga de combustível e aí é que foi uma desgraça. Só ao empurrão é que fui andando. O meu Nitro estava na máxima força, tinha de dizer para ele me empurrar mais devagar, e depressa chegamos ao cimo.
Depois foi descer até ao Hotel.
Tomar banho e comer era a prioridade depois de umas magníficas massagens e jantar.
De seguida fomos para o Sono dos Justos pois no dia seguinte tinhamos mais trabalho para fazer no resto da serra."

sexta-feira, 2 de julho de 2010

Luciana Cox



A doce Luli Cox está em Portugal, e tem acompanhado os amigos João Marinho e José Silva em diversos treinos e aventuras.
Esta semana fui brindado com um desses momentos, durante o treino (deles) encontrei esta malta fabulosa na Boavista, depois do jantar.
Entre uma breve troca de palavras e de risos, lá tirei a foto com a super star do btt!!!

Boa estadia em Portugal querida Luli... até ao Geo da Estrela.

www.lulicox.com
www.lulicox.blogspot.com

12 Horas de Torres

PRÉMIO DE 2º LUGAR